20151030

Sopwith Camel

 A LEGO anunciou um modelo incrível de um dos aviões mais famosos da
Primeira Guerra Mundial, o Sopwith Camel.O biplano inglês era um caça muito difícil de pilotar, mas com manobrabilidade sem igual e por isso responsável por abater 1.294 aviões inimigos durante a primeira guerra, mais do que qualquer avião aliado. 
No final da guerra o Sopwith Camel foi utilizado como avião de ataque terrestre, pois já não era mais eficiente contra os caças mais modernos.
O biplano tem motor realista com cilindros e hélice rotativos, leme da cauda com dobradiça e o mais legal de tudo: ailerons e flaps das asas, tanto traseiras quanto dianteiras, são controlados pelo joystick dentro do cockpit usando cabos de tensão.



O set 10226 Sopwith Camel é super detalhado com 883 peças, incluindo blocos inéditos e cores raras como verde escuro, bege escuro e elementos prateados. 
Fica depois de montado, num tamanho perfeito para segurar na mão com 40 cm de comprimento e 50 cm de envergadura. Usa pouco adesivo e é indicado para maiores de 14 anos o que evidentemente nos enquadra nesta faixa etária.
"Nenhum brinquedo me faz lembrar tanto da infância dos meus filhos quanto este. Eles iam para um quarto e espalhavam aquelas pequenas peças de plástico de encaixar tudo pelo chão. Era impossível caminhar. E ali ficavam longos períodos construindo o que a imaginação determinava para não fugir a verdade eu também participava da brincadeira".
Pesquisando um pouco, encontrei um vídeo preparado pela própria LEGO para comemorar seus 80 anos. No vídeo pode-se ver como tudo começou, destaca a persistência de um marceneiro, seu cuidado com os produtos que fabricava e, especialmente, mostra como ele e seu filho mais velho chegaram aos tijolinhos de plástico com encaixe.
O vídeo tem uns 18 minutos. Vale a pena ver:

20151027

Os primeiros 10.000 acessos a gente nunca esquece

Post (159) - Outubro de 2015

20151023

Santos Dumont voa com o 14-Bis em Paris

Hoje há 109 anos atrás, no dia 23 de outubro de 1906, o aviador brasileiro Santos Dumont fazia uma exibição pública de voo, no campo de Bagatelle, em Paris, com seu 14-Bis. O aeroplano, sem o auxílio de dispositivos de lançamento, percorreu 60 metros, durante sete segundos, a uma altura de aproximadamente dois metros, perante mais de mil espectadores. 
Por conta disso, ganhou a Taça Archadeacon. O 14-Bis era, inicialmente, um aeroplano pendurado ao balão 14, usado por Santos Dumont em 1905, o nome 14-Bis deve-se a este fato.
Contudo, o aviador decidiu tirar o balão e duplicar a potência da aeronave: instalando um motor de 50 HP no lugar de um de 24 HP. Além dessa, também realizou alguns outros melhoramentos ao seu invento. 
O sendo então o primeiro voo homologado da história da aviação, realizado em 12 de novembro de 1906. Homologado por vários jornais e meios de comunicação da época.
Neste dia, o 14-Bis voou 220 metros, a seis metros de altura, em 21 minutos e dois segundos, ganhando o Prêmio do Aeroclube da França, também em Bagatelle. 
O último voo do 14-Bis foi em Saint Cyr, onde caiu em 4 de abril de 1907. Do avião restou a cesta original, que faz parte do acervo da Fundação Santos Dumont, em São Paulo.


Post (158) – Outubro de 2015

20151022

Lancastrian o primeiro transporte civil de alta velocidade

Bombardeiro Lancaster
O Lancastrian, um transporte de alta velocidade derivado do bombardeiro Lancaster, era um veículo ideal para testar os novos motores a jato e turboélice que estavam se tornando prontos para voos civis a partir do final da Segunda Guerra Mundial.  

Alguns destes motores eram de aviões de combate e rapidamente se tornariam confiáveis antes de ser montados em novas aeronaves civis.
Primeiro a voar foi Lancastrian VH742, entregue ao aeródromo de desenvolvimento de voo da Rolls-Royce em Hucknall em outubro de 1945. Seus motores externos Merlin foram removidos e as naceles foram adaptadas, enquanto o sistema de combustível foi totalmente reconstruído para querosene.


Lancastrian VH742
Nestas posições foram adicionados os novos motores turbo jatos, na época eram os motores a jato mais poderosos do mundo. Ele voou de novo em 14 de agosto de 1946 com dois Merlins e dois Nenes.

Em 19 de setembro de 1946 este avião atuou como primeiro jato de passageiros do mundo, fazendo três vôos de passageiros com representantes da imprensa, funcionários do Ministério e outros passageiros que ficaram muito impressionados. 




Os passageiros eram acomodados em duas fileiras de poltronas fixas, uma de costas para a outra, com visão de frente para as janelas o que era facilitado pelo fato de sua fuselagem ser retangular, com cantos arredondados (no salão originalmente usado como compartimento de carga de bombas). Veja o seu layout na imagem abaixo.




Os motores Rolls-Royce também foram adaptados em um segundo Lancastrian  VH737, e em dois Avon-Lancastrians VM732 e VL970. Este último foi utilizado por quase seis anos.

Bill Gunston "A Enciclopédia Ilustrada de aeronaves comerciais", 1980.

Post (157) - Outubro de 2015

20151019

Santos Dumont ganha prêmio por voar ao redor da Torre Eiffel

Hoje há 114 anos atrás, no dia 19 de outubro de 1901, o brasileiro Santos Dumont deu uma volta com o seu dirigível número 6 em torno da torre Eiffel, em Paris, feito que lhe rendeu o prêmio de 100 mil francos em um concurso promovido pelo milionário Henry Deutsch.

O desafio consistia em decolar de Saint Cloud, contornar a torre Eiffel e retornar ao ponto de partida em 30 minutos. Houve uma polêmica por conta de um atraso de 29 segundos, mas, no dia 4 de novembro, o aeroclube francês declarou Santos Dumont o vencedor do desafio. 

Pelo feito, ele também ganhou à mesma quantia em dinheiro do presidente Campos Salles e uma medalha de ouro. Santos Dumont nasceu em Palmira (MG), no dia 20 de julho de 1873, e morreu no Guarujá (SP), em 23 de julho de 1932.


Post (156) – Outubro de 2015

20151016

O Gyróptere de Papin-Rouilly

O projeto e a construção do Gyróptere  de Alphonse Papin e Didier Rouilly ocorreu no período de 1911 a 1914 na França.

Seu projeto baseou-se na semente sicómoro, onde uma única lâmina estende-se desde a semente fazendo esta girar retardando sua queda decente ao cair. O seu princípio de funcionamento é possível - nunca chegou a voar, embora mal sucedido, foi o primeiro helicóptero a jacto de ar projetado.

Papin e Rouilly obtiveram as patentes francesas 440.593 e 440.594 pela sua invenção e mais tarde a patente US 1133660 em 1915.


O protótipo foi construito em madeira moldada aglomerada, com design constituído de curvas compostas e uma varredura suave de sua única lâmina, longa em forma de aerofólio. A lâmina coberta de tecido era oca com aproximadamente 5,9 m de comprimento e 1,33 de largura, perfazendo uma área de 12 m².O piloto ocupava uma nacela entre a lâmina e o motor.

 A parte inferior da nacelle incluía uma estrutura para suportar a máquina enquanto ela estava no solo ou atuava como um flutuador quando na água.
Um motor Le Rhone de nove cilindros, rotativo, de 80 hp era montado de forma a contrabalançar o conjunto. O motor girando a 1.200 rpm, através de um sistema de polias acionava um fã que produzia pouco mais 7 metros cúbicos de ar por segundo. 

O ar, juntamente com os gases quentes do escape do motor, era canalizado ao longo do comprimento da lâmina e liberado na ponta da lâmina através de um bocal sobre o bordo de fuga. Este jato de ar impulsionava a lâmina rotativamente, com um ângulo de ataque positivo. 

O piloto ficava em uma bequilha posicionada no eixo de rotação da máquina, e montada em rolamentos de esferas. A máquina inteira pesava 500 kg, 100 kg a mais do que o originalmente planejado.


Esta imagem oferece uma boa visão do Gyróptere. A lâmina sem o seu revestimento, o flutuador e tubo de controle direcional pode ser claramente visto na nacela central, e o motor Le Rhone na sua caixa do ventilador está à direita.

O piloto controlava o Gyróptere através da utilização de dois pedais: um para a abertura da admissão do ar para a lâmina; e o segundo pedal liberando o ar para dentro de um tubo em forma de L que servia como um leme para o controle direcional. Outro tubo em forma de L dirigido pelo piloto, fornecida impulso para frente, e estabilizava o tambor central impedindo-o de girar com a lâmina. Um interruptor na nacelle funcionava como embreagem, permitindo ao piloto engatar ou desengatar do motor.


Esta vista realça o bico de jacto de ar sobre o bordo de fuga da lâmina, o que pode ser visto no lado esquerdo.

Os primeiros testes foram realizados em 31 de Março de 1915, atrasados pelo início da Primeira Guerra Mundial. Durante os testes em Lake Cercey, perto de Pouilly-en-Auxois na França, a aeronave alcançou uma velocidade do rotor de apenas 47 rpm, bem abaixo dos 60 rpm calculados e necessários para a decolagem. 

A máquina ficou totalmente fora de equilíbrio, e a lâmina por várias vezes
Página 24 da Popular Science - Set.1922
Clique sobre a imagem para tela cheia
entrou em contato com a água, danificando-se. Devido à dificuldade de equilibrar a embarcação e o motor rotativo usado não ser poderoso o suficiente, o avião tornou-se instável e o piloto teve de abandoná-lo, após o que afundou.
Uma comissão militar observando o teste determinou que uma máquina desse tipo não pudesse ajudar o esforço de guerra e interrompeu uma avaliação mais aprofundada. O Gyróptere permaneceu em Lake Cercey até que foi vendido para a sucata em 1919.

E se estão curiosos por ver um e Gyróptere em funcionamento aqui está um, embora em escala reduzida, o que em nada minimiza o fato de nos deixar espantados por conseguir voar - e poder ser controlado remotamente, veja o vídeo.



https://youtu.be/u23Hqq8QbeE

Fonte:  //books.google.com.br/books...  Popular Science - September 1922

Post (155) - Outubro de 2015

20151002

Lutadores da Força Aérea Sueca 1926-1984

Esta publicação eu encontrei em minhas pesquisas – ela esta postada no ISSUU – apresenta uma bela coleção de imagens e detalhes construtivos de aviões “Lutadores” da Força Aérea Sueca do período de 1926 a 1984 em 142 páginas.

Certamente servirá como fonte de informações para os meus amigos aeromodelistas.

Título original da publicação:

Björn Karlström Flygplansritningar 2: Svenska Flygvapnets Jaktflygplan 1926-84


Vejam uma amostra das páginas do livro:


Post (154) – Novembro de 2015

20151001

Só para matar a saudades

As lembranças do Electra se confundem com as da minha juventude. Ouvir o som característico de seus motores Allison é algo emocionante ainda hoje.

Esta postagem nos reporta aos anos de 1980 / 1990 quando eu e alguns colegas do SEG, utilizava-mos dos serviços da extinta VARIG em vôos não só da Ponte Área Rio / São Paulo, mas principalmente dos que faziam a rota Porto Alegre / Rio de Janeiro / Porto Alegre. Vejam o vídeo:


Vejam um pouco mais sobre Ponte Aérea, os serviços, as aeronaves e muito mais desta época, desde 1936 a 2006, são 70 anos de história em:

aerosngecanela / edição-especial-volume-01

Tem também uma postagem neste mesmo Blog:

aerosngcanela/ponte-aerea-rio-sao-paulo-o-primeiro-voo


Post (153) - Outubro de 2015